Minha Trajetória

Minha Trajetória

Olá, amigos!

É um prazer imenso e uma grande honra poder escrever para vocês. Meu nome é Wilson Macena da Silva, recentemente aprovado no concurso para Defensor Público no estado do Maranhão.

Fui aluno do nosso querido RDP em várias ocasiões e agora, com todo orgulho do mundo, faço parte do quadro de professores do curso. Serei um dos responsáveis pelas disciplinas da área penal (direito material e processual, Execução Penal e Criminologia).  Tenham certeza que da minha parte vocês terão toda dedicação possível para auxiliá-los no caminho até a aprovação. 

Não vi tema melhor para iniciar nossas conversas do que justamente contar para vocês como foi essa trajetória de estudo até a aprovação. É, amigos. Todos nós sabemos como é difícil, não é? as noites em claro, o desgaste mental, as horas e horas na frente de um livro, uma apostila, um computador. Mas também sabemos que ver o nome na lista de aprovados é algo indescritível, é a certeza de que tudo valeu a pena. 

Sou carioca mas cresci no Município de Mesquita, uma região afastada da Capital do estado. Em 2012 iniciei a graduação em Direito na Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO) e, por conta da distância, já que a faculdade era no bairro de Botafogo, zona sul do Município do Rio de Janeiro, levava aproximadamente duas horas para ir às aulas e mais duas horas para voltar para casa. 

Por conta disso, o cansaço era constante e não raras vezes, infelizmente, acabava cochilando nas aulas. Mudei-me no mesmo ano de 2012 para um Município vizinho, chamado Nova Iguaçu. Apesar da mudança, continuava distante do local das aulas. 

Quando cheguei no 5º período comecei a estudar mais focado para os concursos de carreiras jurídicas. Mas... gastando quatro horas por dia em transporte público, lotado, muitas vezes encarando situações difíceis (porque o trajeto incluía passagem por lugares não muito seguros), era difícil. Só que, gente, nesse momento existem duas opções: seguir em frente ou desistir. Eu tinha consciência de que eu tinha que me esforçar para atingir meus objetivos, precisava ir em frente. E fui. 

Consegui um estágio na Defensoria Pública do Estado do Rio de Janeiro, lugar onde aprendi muito e fiz amizades para a vida toda. Um tempo depois, e já embalado no ritmo de estudo, consegui aprovação no concurso para estagiário do Ministério Público do Rio de Janeiro, local em que também tive uma experiência maravilhosa, tanto no lado profissional, quanto no lado pessoal (dadas as amizades construídas). 

Por morar longe e tendo que trabalhar, era preciso buscar tempo para conseguir estudar. Ler em pé no metrô lotado acabou virando quase que uma especialidade minha. Se eu parava numa fila, pegava o celular para ler alguma coisa e assim por diante. A fé de que tudo daria certo e a força de vontade eram aliadas indispensáveis. 

E assim fui seguindo; consegui aprovação em um cargo efetivo no Município do Rio de Janeiro, aprovação na OAB (com a segunda fase em Penal, desde sempre minha predileção) e aprovação no concurso de ingresso para a Escola de Magistratura do Rio de Janeiro (EMERJ).

Colei grau no dia 3 de julho de 2017 e de lá até o resultado da prova oral do Maranhão foram pouco mais de 2 anos. 

Quando vi que tinha sido aprovado e que iria tornar-me Defensor Público, passou um filme na minha cabeça. Tudo que eu havia vivido até aquele momento: as crises de ansiedade, o medo de não conseguir passar, as reprovações (antes do Maranhão eu havia feito outros três concursos para Defensor, fora os diversos concursos para servidor público em vários órgãos), a pressão que a gente coloca sobre nós mesmos...

Estou narrando esses fatos porque temos alunos e alunas no RDP que são verdadeiro(a)s guerreiro(a)s. Precisam trabalhar, cuidar de filho, se preocupar com contas, fora todo o estresse inerente ao mundo dos concursos. E mesmo quem tem a oportunidade de se dedicar integralmente aos estudos também tem dificuldade, porque muitas vezes a "autopressão" para uma aprovação é maior ainda. 

Então, digo uma coisa para vocês: tenham fé. Vai dar certo. Além do estudo, o apoio da família e dos amigos é fundamental e tenham certeza de que quando vocês forem aprovados, muita gente vai comemorar como se elas mesmas tivessem sido aprovadas. 

Não importa se você tem 2, 3, 4, 10 horas por dia para estudar. Estudem o máximo possível, na medida das disponibilidades de cada um.

Na minha caminhada ouvi MUITA gente dizer que era impossível passar trabalhando; que fulano estuda 15 horas por dia; que só quem estuda por muitos anos consegue passar. Blindem seus ouvidos e olhos contra esses tipos de comentários. Mantenham próximo de vocês quem realmente quer o bem, quem realmente veio para acrescentar.

Lembrem-se: No tempo certo, tudo acontece. 

Bom, por hoje é só! A partir do meu próximo texto, começaremos a discutir determinados temas atinentes à área penal que têm chances de cair em concurso e que merecem uma certa reflexão. Afinal, estudar para a Defensoria não se resume a decorar leis e julgados; é preciso ter pensamento crítico e os examinadores esperam esse tipo de postura dos candidatos. 

Qualquer dúvida de cunho jurídico, estarei disponível por e-mail, na medida do possível, para ajudar. 

Contem com o RDP para acompanhá-los nessa jornada de estudos. Vamos juntos em busca desse sonho verde!

Wilson Macena da Silva

https://rumoadefensoria.com
Enviando Comentário Fechar :/
Voltar ao topo