COMO RECORRER DA PROVA DISCURSIVA?

COMO RECORRER DA PROVA DISCURSIVA?

COMO RECORRER DA PROVA DISCURSIVA?
 
Fala, gente, tudo bem? Victor Linhares por aqui. Em razão da quantidade de perguntas que tenho recebido em meu Instagram pessoal, bem como através do Instagram do Curso RDP, resolvi fazer um texto explicando brevemente como preparar o recurso de sua prova discursiva.
 
Inicialmente, parabenizo a todos aqueles que consiguiram estar habilitados na segunda fase da DPE-MG, tendo em vista que essa segunda fase foi uma dos mais desgastantes que já vi na vida. Parabéns de verdade!
 
No entanto, se você não conseguiu ser habilitado, ou acha que foi injustiçado(a) na sua correção, esse texto é para você. Lembre-se que recurso é só mais uma fase do concurso, e você precisa ter a plena consciência de que tudo pode acontecer.
 
Dito isso, vamos à primeira pergunta que vocês sempre fazem: se eu recorrer, é possível que minha nota, em vez de aumentar, diminua? Ou seja, é possível a reformatio in pejus nos recursos administrativos de concurso?
 
Gente, essa pergunta sempre causa espanto, mas vou confessar que nunca vi nenhuma nota ser diminuída em recurso administrativo de concurso. Já conversei com muita gente e nunca tive uma prova concreta de alguém que tenha recorrido e o examinador tenha diminuído a nota.
 
É possível? Olha, eu diria que tudo pode acontecer, mas as chances são quase zero.
 
Agora vamos tratar dos aspectos mais importantes nos recursos de provas discursivas para Defensoria Pública.
 
ENTENDA AS REGRAS DO CONCURSO
 
Eu já vi alguns alunos pagarem (caro) para cursos ou professores fazerem recursos, e estes não obedecerem às regras do edital. Se o espaço para recurso pede 8.000 caracteres, você só vai poder usar as 8 mil caracteres, por motivos óbvios. Portanto observe as regras do seu concurso.

Além disso, tenha cuidado com os prazos. Geralmente são 2 ou 3 dias!
 
CUIDADO COM OS MODELOS DE RECURSOS
 
Não use o modelo do recurso do seu amigo. O examinador não vai gostar de ler algo feito roboticamente, copiado e colado. Na verdade, quem é que gosta de ler algo copiado e colado, sem individualização nenhuma?
 
No entanto, se você não sabe por onde começar, não há problemas em se basear por um modelo, desde que você não faça idêntico.
 
A OBJETIVIDADE É O SEGREDO DE UM RECURSO BEM FEITO
 
Um recurso é algo que precisa ser objetivo, tendo em vista que você vai mostrar ao examinador que sua prova não foi corrigida da forma como era para ser.
 
Por outro lado, é natural do ser humano ter uma certa dificuldade em reconhecer que errou. Isso não vale só para provas, vale para qualquer ato na vida.
 
Você precisa mostrar, com muita humildade e respeito, que sua nota não foi a merecida. A questão é que para isso você não pode simplesmente dizer que o examinador se "equivocou" ou que ele "está errado".

Uma sugestão de começar o recurso de uma determinada questão, por exemplo, é a seguinte:
 
“Ilustre Examinador,
 
Embora ciente de que a resposta dada pelo candidato ficou aquém do esperado pela Banca, passa-se a expor as razões pelas quais a nota total atribuída inicialmente em 0,50 deva ser acrescida de, pelo menos, 0,25.”
 
Em minha opinião, os recursos que tendem a ser providos são aqueles objetivos, que indicam justamente o que deixou de ser pontuado pelo examinador, embora previsto no espelho.
 
Por exemplo, vejam outra sugestão:
 
“Ilustre Examinador,
 
Embora se reconheça que o candidato não mencionou expressamente o art. 107, IV, do CP; às linhas 12 fora mencionada expressamente o conceito de prescrição, fazendo referência, inclusive, à prescrição executória como forma de extinção da punibilidade.
 
Em que pese tenha o recorrente abordado essa temática às linhas 12, fora atribuída a nota 0,0 de 0,50.
 
Dessa forma, muito respeitosamente, requer-se a reforma da pontuação, a fim de que seja atribuída, nesse quesito,  a pontuação de pelo menos 0,40 ao candidato.
 
Termos em que pede Deferimento”.
 
Perceba que não há segredo em recursos. É simplicidade e objetividade.
 
Uma dica é: veja bem o espelho do seu examinador e perceba se tem algo que você mencionou, ainda que indiretamente, e ele não pontuou. Acontece de às vezes o examinador só pontuar algo que ele consiga ver de maneira EXPRESSA. E muitas vezes você falou algo que ele queria, mas não mencionou expressamente. E como são muitas provas, passou batido! Ele procurou a palavra e não achou. E não achou porque você não mencionou a palavra que ele queria, embora tenha mencionado com OUTRAS palavras, o que não torna a resposta errada.
 
Nesses casos, o que fazer?
 
Você pode informar, no seu recurso, que às linhas tais (sempre mencione o número da linha) você dissertou sobre determinado ponto, ainda que indiretamente, o que não seria justo ter a nota ZERO atribuída.
 
Nesse caso, seu recurso poderia ficar da seguinte maneira:
 
“Ilustre Examinador,
 
Embora ciente de que a resposta dada pelo candidato ficou aquém do esperado pela Banca, passa-se a expor as razões pelas quais a nota total atribuída inicialmente em 0,00 deva ser acrescida de, pelo menos, 0,20.
 
Conforme o segundo quesito previsto no espelho, o candidato deveria ter explicado o conceito de violência de gênero, pontuação que valia 0,00 até 0,20.
 
No entanto, embora reconheça o candidato não ter colocado o conceito idêntico ao apresentado pelo espelho, o recorrente trouxe às linhas 06 o conceito de violência de gênero, ao afirmar, inclusive, o entendimento do Superior Tribunal de Justiça.
 
Dessa forma, muito respeitosamente, considerando que o recorrente trouxe às linhas 06 o conceito de violência de gênero, ainda que com palavras diferentes do espelho, requer-se a reforma da pontuação, a fim de que seja atribuída, nesse quesito,  a pontuação  de pelo menos 0,20 ao candidato.”
 
Enfim, pessoal. É isso. Tentem ser objetivos e sinceros. Não façam recursos enormes, colando inúmeros julgados e passagens doutrinárias, porque certamente o examinador vai perder a paciência, tendo em vista que há centenas de recursos para apreciar.
 
Assim, é aquela coisa: o menos é mais. Isto é, quanto mais objetivo você for, mais chances você terá.
 
Por fim, não tentem “recorrer de tudo”. Seja honesto e recorra do que você realmente vê que é plausível!
 
Espero ter ajudado.
 
Um abraço.
 
Victor Linhares

Victor Linhares

https://rumoadefensoria.com
Enviando Comentário Fechar :/
Voltar ao topo