Minhas Compras
Você adicionou a sua lista de compras. O que deseja fazer agora?
Continuar Comprando Fechar Compra

PESSOAS NÃO MUITO ORGANIZADAS TAMBÉM PASSAM!

PESSOAS NÃO MUITO ORGANIZADAS TAMBÉM PASSAM!

Oi, gente. Tudo bem? Victor Linhares por aqui. Hoje gostaria de falar com vocês um ponto bem importante para nossos estudos: organização.
 
Confesso que nunca fui uma pessoa organizada, acreditem. É uma coisa que eu estou buscando melhorar todos os dias. Antes de ser aprovado, sempre me questionei se pessoas não muito organizadas (como eu) conseguiriam passar em concursos com fases mais complexas.
 
Esse questionamento ficou ainda mais intenso quando o Instagram alcançou seu ápice. Eu via diversas pessoas com planners, com inúmeras planilhas coloridas, canetas coloridas, e tudo isso me deixava ainda mais aflito, porque eu sinceramente sabia que não teria aquela disposição. Eu tinha pouco tempo, trabalhava 7 horas por dia. Precisava de algo objetivo, que pudesse estudar por cerca de 3 horas e render, sem enrolações.
 
Em meio a minha desorganização, fui encontrando uma luz no caos. Comecei a fazer meus cadernos e a cumprir metas. Não tinha nada muito organizado ao ponto de ser visualmente bonito. Eu fiz apenas uma tabela no Word (não sabia fazer tabelas, assisti a um vídeo no Youtube e aprendi), e comecei a cumprir essas metas que eu mesmo estipulei.
 
Todos os dias me perguntava se isso iria me levar a algum lugar, pois eu estava na contramão de tudo que via. Primeiro, não seguia nenhum método de revisão. Segundo, não lia lei seca com afinco, salvo nas vésperas da prova. Terceiro, não lia muito o Dizer o Direito, sempre gostei mais de ler direto do site dos Tribunais.
 
Eu só poderia estar louco.
 
Além de tudo isso, também não marcava horas de estudos, e nunca sabia responder quantas horas por dia eu estudava quando alguém me perguntava. Ah, e eu tinha uma mania de estudar o conteúdo de trás para frente, fugindo do método tradicional de começar pelo começo.
 
Eu fazia o contrário do que a maioria faz, e confesso que por muito tempo achei que nunca ia passar.
 
Quando comecei a fazer provas de Defensoria para valer, observei que em alguma quantidade eu estava correto. Em Direito Civil, por exemplo, parei de estudar parte geral e foquei em Família, Sucessões e Direitos Reais. Parei de ler toda a parte inicial do Código Civil, pois já estava cansado de começar por “Direitos da Personalidade” e nunca chegar a “Sucessões”, ponto absolutamente presente em todas as provas da DPE.
 
Em véspera de prova objetiva eu lia muita lei seca. Duas semanas antes, meu cronograma era dividido em leitura de lei seca (sobretudo as leis esparsas), meus cadernos e a revisão do Dizer o Direito (que ele libera na última semana da prova).
 
Um ou dois dias antes da prova eu reservava para a leitura integral da legislação institucional da Defensoria do Estado que eu iria fazer a prova. Essa leitura é sagrada e você garante pelo menos umas 3 questões.

Pois bem, é isso pessoal.
 
Ter uma organização (estratégia) é muuuito importante, nem que seja da forma mais básica possível.
 
Um abraço.
 
Contem comigo.

Victor
 
 

Prof. Victor Linhares

https://rumoadefensoria.com
Enviando Comentário Fechar :/
Voltar ao topo