TRAJETÓRIA ATÉ SER APROVADA NA DPE/AP

TRAJETÓRIA ATÉ SER APROVADA NA DPE/AP

Oi gente! Renata Guerra na área, e hoje vou fugir um pouco da postagem com conteúdo jurídico e falar um pouco sobre minha trajetória até ser aprovada na DPE/AP ok? Talvez fique um pouco extenso, já avisando aos mais impacientes rsss…

Muita gente me pergunta o porquê da escolha pela carreira da Defensoria Pública, mas antes de entrar nesse ponto, vou voltar um pouco no tempo, para que vocês entendam porque passei tanto tempo afastada dos estudos depois que me tornei Analista do TJPE em 2012.

Durante todo período da faculdade e depois que me formei (final de 2009, abafem o caso), nunca pensei em estudar para concursos públicos de carreira (Magistratura, Ministério Público e Defensoria).

Um dos motivos (pasmem…), carXs leitores, é que tinha pânico de me imaginar chegando numa prova oral.

Logo, meu primeiro filtro foi fazer concurso apenas cargos que não tivessem essa fase na seleção. O segundo filtro foi geográfico e se deu ao fato de que já tinha um relacionamento de alguns anos e não pretendia sair rodando o país fazendo provas, no máximo, Estados próximos.

Então, em 2011, saiu o edital do TJPE, com aquele alarde de que sempre chamavam muitas pessoas! Nessa época morava e advogava em João Pessoa (nasci em Recife, mas passei a vida toda na minha linda Jampa) e já estava morando com meu ex-marido, então achei uma excelente oportunidade de me manter próxima e ter um emprego estável.

Não vou detalhar esta fase porque não é a parte que interessa né? Mas resumindo, fiz prova em janeiro de 2012 e em abril do mesmo ano fui nomeada como Analista. Não tinha pretensões de fazer novos concursos e seguia minha vidinha pacata.

Passados alguns anos e algumas reviravoltas na minha vida pessoal, me divorciei e me mudei definitivamente para Recife em março de 2016. Mais ou menos no meio deste ano resolvi voltar a estudar, e na hora de escolher a carreira, me decidi por fazer concursos para Magistratura.

E agora José? Desde 2012 sem estudar, como recomeçar depois de tanto tempo parada? Pesquisei, pesquisei… e depois de muito rodar acabei fazendo o Curso Regular da Magistratura do curso MEGE, iniciado em novembro de 2016. Tive a sorte de ter uma orientadora muito querida, a Simielle, que me deu o norte de como iniciar essa etapa da vida de concurseira! Em 2017 fiz as provas do TJ/PR, TJ/SC e TJ/SP (reprovei em todas as primeiras fases). Do MEGE também ganhei meu grupo lindo de estudos, os Sem Prejuízo, que seguem na minha vida até hoje de uma forma muito especial! #semprejuízo #concurfriends #concurfamily.

Até então, não conhecia bem a carreira da Defensoria Pública, mas comecei a estudar e a conhecer um pouco melhor quando soube que iria sair a prova da DPE-PE. Desde então, me apaixonei, não me vejo seguindo nenhuma outra carreira. De fato, trabalhar como um agente de transformação social é o que hoje me motiva!

Reprovei nas primeiras fases da DPE/AL, DPE/PE (essa doeu em… uma semana de choro livre…) e DPE/AM (a prova que foi anulada, resolvi não fazer a prova que foi reaplicada, que ocorreu uma semana antes da prova oral no Amapá).

A primeira fase da DPE/AP foi uma semana depois da prova do Amazonas e eu fui sem nenhuma esperança de passar e totalmente desmotivada depois de uma sequência de reprovações.

No dia, lembro de fechar os olhos antes de começar e pedir a Deus que me mostrasse apenas um sinal de evolução. E plim! Tomei um susto quando peguei o gabarito e vi que estava acima do corte esperado (tinha odiado a prova…) segundo o site do Olho Na Vaga.

Aí eu surtei! Kkkkkk. Sim gente, no sentido literal mesmo. Entrei em pânico porque não me sentia com bagagem para realizar uma prova de segunda fase (peças, questões, socorro Deus!). Teve muito estudo regado a lágrimas, quase endoidei um dos meus melhores amigos e maiores incentivadores (Jaimeeee, obrigada por sempre acreditar em mim, mais do que eu mesma, te amo!).

Nessa etapa, fiz o curso de segunda fase do Curso Clique Juris, o que me ajudou bastante no desenvolvimento das peças e questões (um abraço especial para os professores Diego Camargo e Pedro Wagner que também aguentaram meus surtos pelo whatsapp kkkkkk).

Fiz a prova da segunda fase (março deste ano) e saí sem qualquer esperança de ter tirado a nota mínima para chegar na fase oral. Quando saiu o resultado, outro choque! Se eu surtei na segunda fase, imaginem agora em? Foi mais desespero, choro e gritaria.

Para essa fase, acabei optando por fazer os cursos do Marcelo Lage (via Skype), Ouse Saber (presencial) e Curso Clique Juris (skype e presencial na semana da prova em Macapá). Todos foram especiais e me ajudaram em algum ponto, principalmente no quesito insegurança.

Mas Renata, para ser aprovado na fase oral, é preciso fazer tantos cursos? Não gente, não precisa! A melhor coisa nessa fase é treinar, treinar e treinar. E isso vocês podem fazer com seus colegas (agradecimento especial ao Jaime, Roberto, Victor e demais que me ajudaram a perder o medo e a falar!). Lógico que se você puder fazer algum acompanhamento, ótimo, mas digo de coração, não é imprescindível.

Gente, quando eu leio aqui esse caminho, até chegar a aprovação na DPE-AP, parece ter sido “simples” e rápido. Mas, assim como para a maioria das pessoas (não contabilizo aquela galera que é ponto fora da curva rs…) que chegam a ser aprovadas, teve muita abdicação.

Foram várias férias do trabalho tiradas para estudar, distanciamento dos amigos e da família, feriados em casa estudando, vários “nãos” quando eu queria dizer “sim”. Dias chorando dentro do quarto com medo de estar “perdendo tempo”.

Mas gente, deixa eu contar uma coisa a vocês, ter nosso nome como aprovado no Diário Oficial faz tudo isso aí valer a pena viu? Com certeza uma das sensações mais gratificantes que já senti na vida!

Eu ainda continuo fazendo isso tudo aí de cima (só que agora com um pouco mais de equilíbrio, porque é necessário entender que concurso não pode ser o único objetivo da nossa vida), porque ainda vou prestar outros concursos para Defensoria antes de aposentar a chuteira. Quando vou passar novamente? Não sei. Mas continuarei tentando até chegar na posse!

O que eu quero com esse relato é pedir que vocês ACREDITEM em si! Ninguém precisa ser um gênio para chegar a aprovação. O que precisamos nesse caminho é termos paciência, perseverança, disciplina e acreditar no próprio potencial! É o esforço pessoal de cada um que vai levar ao sonhado cargo. Cada um em seu ritmo e no seu tempo, driblando suas dificuldades pessoais.

Cerquem-se de pessoas que te incentivem e que te apoiem nessa jornada. Sou muito grata a toda minha família e amigos que estiveram comigo nesse caminho e entenderam (aliás, ainda entendem) toda a minha ausência.

É isso pessoal, vou me despedindo por aqui, porque se eu fosse de fato detalhar todo o meu caminho até hoje, vocês não teriam a menor paciência de ler minhas maluquices rsss…

Se vocês quiserem saber de maiores detalhes sobre como foi o caminho, só mandar mensagem nos comentários, ou no meu instagram (@renataguerra_) que terei maior prazer em responder!

Próxima postagem volto a programação de estilo meus jovens padawans e pretendo trazer muito conteúdo bacana para nos auxiliar a chegar no cargo de DefensorXs!

Renata Guerra

https://rumoadefensoria.com

Uma breve descrição sobre mim. Aproveite e siga-me nas redes sociais

Enviando Comentário Fechar :/
Voltar ao topo